Você sabia que existe uma legislação específica para as lixeiras em locais públicos, como, condomínios, por exemplo? Essa lei dispõe sobre a organização dos sistemas de coleta seletiva em locais que são grandes geradores de resíduos sólidos. Cada município do Brasil possui suas próprias regras, no entanto, a coleta seletiva é um dever de todos. 

Todos os condomínios devem separar os resíduos de acordo com as suas categorias: papel, plástico, metal, vidro e lixo orgânico, portanto, é essencial que haja lixeiras de coleta seletiva dispostas por toda a área. Para saber mais sobre a coleta seletiva, clique aqui. Além disso, as lixeiras devem ser posicionadas uma ao lado da outra e, de preferência, em um local de fácil visualização e acesso para os moradores, inclusive para os idosos, gestantes e PCD.

Os resíduos devem ser coletados periodicamente e encaminhados para o local onde será realizada a reciclagem. Em São Paulo, caso ocorra o descumprimento da lei, o condomínio deve arcar com uma multa no valor 500 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), que corresponde a R$6.965,00. O valor varia de acordo com as regras de cada estado. 

 

Regras básicas para o descarte dos resíduos em condomínios 

É dever de todos colaborarem com o descarte correto dos resíduos, os moradores devem contribuir com a coleta seletiva da mesma forma que o condomínio deve dispor lixeiras e condições adequadas para tal, conforme explica o vídeo abaixo. 

 

 

Além de ser uma obrigação, a coleta seletiva é uma questão de princípios, portanto, todos os moradores devem contribuir com a prática. É importante que ocorra uma reunião interna com todos os moradores e funcionários do condomínio, para a divulgação da prática e, acima de tudo, que seja uma tarefa realizada por todos. Em alguns casos, educadores visitam os condomínios para falarem sobre sustentabilidade para as crianças e as ensinarem desde cedo sobre a importância da reciclagem. 

 

Como escolher as lixeiras para os condomínios? 

É necessário ter em mente alguns pontos importantes antes de escolher as lixeiras para os condomínios, afinal, há um grande volume de pessoas que residem no local, portanto, as lixeiras devem ser bem localizadas, sinalizadas e os modelos devem seguir algumas especificações, como: 

Tampa 

Opte por modelos com tampa, seja com pedal, basculante ou até mesmo automática. O importante é que a lixeira tenha tampa para que o odor não se espalhe e que os animais e insetos não se proliferem. 

Material 

Independente do local, os modelos confeccionados em aço inox e plástico polipropileno são os mais adequados. Ambos os materiais possuem alta resistência contra impactos, raios UV, são fáceis de higienizar e não proliferam bactérias. 

Litragem 

Como há um grande volume de pessoas gerando lixo todos os dias, é necessário que a lixeira seja grande. Os containers acima de 400 litros são ideais para os condomínios pequenos. Para os maiores, 700 litros atendem a demanda. 

Coleta seletiva 

É necessário que o condomínio contemple lixeiras para a coleta seletiva, portanto, escolha modelos em conjunto para facilitar a prática e, claro, que sejam sinalizadas com as cores de cada tipo de material. 

 

Conte com quem entende do assunto!

O planeta sofre com uma quantidade alarmante de lixos descartados de maneira inadequada todos os dias, portanto, o nosso principal objetivo é orientar a todos os nossos clientes e, também, leitores, as melhores práticas e cuidados para preservar e organizar qualquer ambiente.

A Reis Lixeiras é uma empresa líder, confiável e capacitada, que sempre busca inovações e excelência em todos os serviços, do atacado até o varejo

Fique ligado aqui no blog e compartilhe esse conteúdo!